Em assembleia realizada nesta terça-feira (23), trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação - EBC, decretam greve

Notícias
Tipografia

assembleiaEBC aprova greve

Reunidos em assembleia nacional os trabalhadores (as) da EBC decretam greve em todas as praças (SP, RJ e DF) a partir das 00h de sexta-feira (26 de novembro). 

 

A paralisação foi aprovada como resposta a intransigência da direção da empresa na mesa de negociação e a partir da ação truculenta dos dirigentes em suspender o acordo coletivo dos trabalhadores, retirando direitos historicamente conquistados, até de servidores mais vulneráveis, como os trabalhadores com adicional de periculosidade e pessoas portadoras de deficiência (PCD).

Na última sexta-feira (19), a direção da EBC reuniu os sindicatos da categoria e informou que nenhuma cláusula do acordo coletivo está valendo. 

Direção da EBC, nomeada por Bolsonaro, insiste em não responder a proposta apresentada pelos trabalhadores, mesmo tendo recebido a pauta de reivindicações no início de novembro. Sem falar no assédio vivido diariamente, pelos trabalhadores (as) e a ameaça de privatização da empresa pública de comunicação, que presta serviços relevantes a sociedade brasileira. Censuras e ataques a comunicação pública tem sido notória no governo Bolsonaro em relação a EBC.

Integram a EBC a Agência Brasil, TV Brasil, Rádio Nacional, MEC FM e a Voz do Brasil.

A EBC é uma empresa pública de comunicação que está a serviço da sociedade brasileira, sob administração do atual governo que, não só tem desvalorizado um importante serviço social de comunicação a sociedade, como interefere em seu objetivo principal de prestação de serviço. O governo Bolsonaro além de não ter nenhum compromisso com a comunicação pública, utiliza da estrutura da EBC para descaracterizar a comunicação pública, laica e de prestação de serviço aos brasileiros (as).

Com informações do Sindicao dos Jornalistas de SP.