Justiça proíbe Usiminas de demitir

Notícias
Tipografia

Screenshot 2020 05 26 Vídeo Péssimas condições de trabalho na USIMINAS INTERSINDICAL5

Foto reprodução

A luta segue pela reintegração dos mais de 300 trabalhadores demitidos

 

Por Intersindical

No dia de hoje, o colegiado do Tribunal Regional do Trabalho em São Paulo julgou a liminar que impedia a Usiminas de demitir e a conclusão foi manter a decisão, ou seja, a Usiminas está novamente proibida de demitir.

Mas a nossa luta continua, o processo iniciado em Cubatão continua e seguimos exigindo a readmissão de todos os trabalhadores que foram demitidos desde maio.

A cada dia se escancara como a Usiminas se aproveitou da pandemia para reorganizar sua produção e ampliar seus lucros: logo depois das demissões, a Usiminas divulga seu plano para o segundo semestre, nele está a retomada do funcionamento do Alto Forno 1 e da Aciaria 1 em Ipatinga e a retomada da produção em Cubatão. Seu plano de investimentos aumenta de R$600 milhões para R$800 milhões. 

O próprio presidente da Usiminas falou que a usina continua sendo líder nacional na produção de aços planos e que a reorganização que fizeram garantiu mais produtividade e na primeira semana de agosto foi divulgado o aumento do bônus para a direção da usina. A remuneração dos que fazem parte da direção estatutária da Usiminas poderá ser de R$ 27,2 milhões, em 2019 foram R$ 18,48 milhões.

Hoje foi mais uma batalha em que derrotamos a Usiminas, mas a luta principal é no  local de trabalho para garantir a reintegração dos demitidos, em defesa dos salários, direitos e melhores condições de trabalho.

SEGUIMOS FIRMES