Em meio ao ato do 1º de Maio, trabalhadores aprovam Greve Geral no dia 14 de junho

Notícias
Tipografia

Com a presença de milhares de pessoas, onde compareceram artistas, lideranças políticas e sindicais, os trabalhadores presentes aprovaram Greve Geral no dia 14 de junho, tendo o dia 15 de maio como um "esquenta".

Todas as centrais sindicais se fizeram presentes, bem como importantes lideranças políticas de partidos e de movimentos sociais, para celebrar o dia internacional dos trabalhadores e protestar contra a reforma da previdência do goveno Bolsonaro. A diretoria do Sindicato dos Radialistas esteve presente e a Intersindical compareceu em peso. Mané Melato, membro da coordenação nacional da Internsincidal - Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora, fez uso da palavra no evento destacando a postura do governo Bolsonaro, como representante da burguesia nacional, em destilar seu ódio de classe contra os trabalhadores e minorias e a Greve Geral do dia 14 de junho.