10° Congresso: Qual o papel da mídia?

Notícias
Tipografia

Ana Claudia Mielke, do coletivo Intervozes, foi uma das debatedoras da mesa sobre “qual é o papel da mídia?”. Uma primeira questão que ela colocou foi delimitarmos de que mídia estamos falando, que é a chamada grande mídia.

A jornalista e radialista abordou a concessão para o rádio e televisão como um dos grandes problemas que temos hoje, principalmente quando se observa que uma grande maioria de emissoras são propriedade ou são vinculadas a políticos, o que é uma ilegalidade.

Nascimento Silva, representante da FITERT, lembrou que na 1° Conferência Nacional de Comunicação, foi proposto um marco civil regulatório, mas que por interesse das empresas e dos políticos, ela não se concretizou. Nascimento foi contundente ao dizer que enquanto não se discutir o conteúdo das mídias, não estará de fato se falando de democratização dos meios de comunicação, inclusive no caso das rádios comunitárias.

O coordenador do Sindicato dos Radialista no estado de SP, Sérgio Ipoldo fez menção a dificuldade que as rádios comunitárias sofrem em questão do financiamentos, assim como também ocorre com as emissoras públicas como a RTV Cultura e as Universitárias, que estão fichando por falta de verba. O Dirigente Sindical alertou que essa realidade vem de encontro com as necessidades da grande mídia, que está a serviço do capitalismo e não quer ter concorrência.

Após o término deste debate, o congresso se debruçou na elaboração do plano de luta para os próximos anos.