registro profissional

Foto: Reprodução          Registro Profissional só é emitido pelo Ministério do Trabalho

 

O Sindicato dos Radialistas reajusta a taxa do atestado de capacitação profissional, mais conhecido como taxa do registro profissional que, há mais de 15 anos estava com o mesmo valor e passa a ser de R$ 150,00, a partir do dia primeiro de abril deste ano.

Leia mais...

Rede Internacional de Televiso

Ilustração: reprodução

 

 

Em audiência de conciliação realizada nesta quinta feira (08), com a Fundação Internacional de Comunicação (FIC), mais conhecida como RIT, relativo ao vale refeição, depois de duas horas de discussões sobre a questão, a juiza Andrea Davini Biscardi, da 67ª Vara do Trabalho de São Paulo/SP, formulou uma proposta para fechamento de acordo no pagamento dos valores devido do vale refeição da seguinte maneira.

Leia mais...

 

 

PROCESSO DO VALE REFEIÇÃO DA FIC

INFORME SOBRE PROPOSTA DE ACORDO

                                   Conforme é de conhecimento de todos, realizamos a Assembleia para submeter a apreciação dos interessados a proposta de Acordo feita pela FIC no sentido de reduzir em 20% o valor apresentado pelo Sindicato. A assembleia não concordou com a proposta, tendo aprovado um desconto de 10%. O Sindicato passou a proposta para a empresa que nos apresentou outra proposta: reduzir o crédito em 10% e parcelar o valor em 20 vezes. Ainda com base na decisão da Assembleia o Sindicato recusou essa contraproposta porque é pior que o desconto dos 20% já rejeitados. Isso porque, o parcelamento em 20 vezes acarretaria uma redução do crédito em 11% (em razão dos juros decrescentes) que somados aos 10% daria 21%. Portanto, o Acordo não será realizado. Informamos ainda que a empresa impugnou os cálculos apresentados pelo Sindicato, tendo apresentado outros que entende devido, cujos valores inferiores. Portanto, pelo andamento regular do processo o Juiz designará um Perito para fazer os cálculos.

                                              

Com informações da Revista Forum e do site Diário do Centro do Mundo

Foi divulgado na última terça-feira (31) o Monitoramento da Propriedade da Mídia (Media Ownership Monitor/MOM), projeto global da Repórteres sem Fronteiras realizado no Brasil pelo Intervozes. Através de dados de audiência disponíveis em medidores como o Alexa e o ComScore, pesquisa elencou e mapeou os 50 maiores veículos de mídia impressa, rádio, televisão e internet do país, cruzando dados de seus grupos proprietários, financiadores, que outros negócios possuem e suas relações políticas.

O Brasil ocupa a pior colocação dos 11 países já analisados pela RSF – Colômbia, Peru, Camboja, Filipinas, Gana, Ucrânia, Peru, Sérvia, Tunísia e Mongólia também foram alvo da pesquisa.

. O país recebeu a pior nota em quase todos os indicadores, nos quais o estudo se baseia para medir os riscos para a pluralidade da mídia, avaliando itens que vão desde concentração de propriedades e de audiência, passando por regulamentação sobre propriedade de mídias, até o nível de transparência sobre o controle das empresas. Apenas um dos indicadores brasileiros não foi considerado como “de alto risco para a pluralidade da mídia”.

Para saber mais sobre o Monitoramento da Propriedade da Mídia (Media Ownership Monitor/MOM) clique aqui

 

Os Donos da Mídia

Relíquia: quadro Os Donos da Mídia, apresentado em 2002 no Fórum Social Mundial em Porto Alegre

 

Pesquisa que mapeia os dados da concentração dos grupos de mídia no país foi realizada pelo Intervozes, em parceria com a organização internacional Repórteres Sem Fronteiras

No dia 31 de outubro, às 18h, será lançado em São Paulo o Monitoramento da Propriedade da Mídia (Media Ownership Monitor/MOM), projeto da Repórteres Sem Fronteiras (RSF) realizado no Brasil em parceria com o Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social. A pesquisa mapeou os 50 maiores veículos de mídia impressa, rádio, televisão e internet do país, os grupos econômicos a que pertencem, seus proprietários, que outros negócios possuem, suas relações políticas.

O resultado será apresentado ao longo de uma programação que contará, além da equipe da pesquisa, com a presença de Olaf Steenfadt, coordenador global do Media Ownership Monitor na Repórter Sem Fronteiras da Alemanha, e especialistas no tema, como os pesquisadores Cynthia Ottaviano (Presidenta da Organização Interamericana de Defensoras e Defensores das Audiências – OID), Martín Becerra (Universidad Nacional de Quilmes/Argentina) e o jornalista e ex-ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Franklin Martins.

Além disto, os dados e seus desdobramentos analíticos vão resultar em um site, que entra no ar também no dia 31 de outubro. As atividades serão realizadas no auditório do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo, localizado à Rua Genebra, nº 25, Bela Vista.

Sobre o Media Ownership Monitor/MOM

O Monitoramento da Propriedade da Mídia (Media Ownership Monitor/MOM) é uma iniciativa global de pesquisa e incidência política para criar transparência a respeito de quem são os donos da mídia – e, por meio da contextualização e análise de informações, responder a pergunta “quem controla a mídia?”. Fornece ao público uma fonte acessível e continuamente atualizada sobre os interesses por trás das notícias que assistimos, lemos, ouvimos. O Brasil é o décimo país onde a pesquisa é realizada. No site Media Ownership Monitor estão os seus resultados em países como Peru, Ghana, Turquia, Filipinas, Ucrânia, Cambodja. Neste momento, a pesquisa está em andamento no Marrocos e no Paquistão e, no início de 2018, o MOM começa a ser produzido no México.

No Brasil, foram analisadas as redes de TV aberta Globo, SBT, Record, Band, RedeTV!, RecordNews, TV Brasil, Rede Vida e Gospel, e os veículos de televisão por assinatura, Globo News e Band News. Também foram analisadas as redes de rádio Jovem Pan, Gaúcha Sat, Band FM, Globo AM/FM, Transamérica, Mix FM, CBN, Rede Católica de Rádio, Rede Aleluia, Bandeirantes, BandNews e Novo Tempo; os portais Globo.com, UOL, Abril, IG, ClicRBS, Estadão, R7, Revista Fórum, O Antagonista e BBC; as revistas Veja, Época e IstoÉ e os jornais Folha de S. Paulo, O Globo, Super Notícia, O Estado de S. Paulo, Zero Hora, Extra, Diário Gaúcho, Agora São Paulo, O Estado de Minas, Valor Econômico, Correio Braziliense, O Tempo, Correio do Povo e Daqui.

Sobre os convidados:

Olaf Steenfadt: coordenador global do projeto Media Ownership Monitor na Repórteres Sem Fronteiras. Durante anos foi consultor para o pluralismo da mídia, especialmente na cooperação para o desenvolvimento. Trabalhou em organizações internacionais e ONGs, principalmente no Sudeste da Europa e no mundo árabe. Trabalhou para ARD e ZDF em vários papéis, inclusive como apresentador de rádio e TV, jornalista investigativo, correspondente doméstico e estrangeiro. Ensina a história da mídia, política de mídia e regulamentação em universidades na Alemanha e na Europa.

Cynthia Ottaviano: jornalista, Presidenta da Organização Interamericana de Defensoras e Defensores das Audiências (OID) e Presidenta do Comitê Diretivo da Organização dos Defensores do Público (ONO), que reúne defensores dos cinco continentes. Foi a primeira Defensora do Público de Serviços de Comunicação Audiovisual na Argentina, função criada pela Lei de Meios daquele país. Professora da Universidad Nacional de La Plata e da Universidad del Salvador.

Franklin Martins: jornalista, com trabalhos em veículos da mídia impressa como Hora do Povo, O Globo, Jornal do Brasil, SBT, Estado de São Paulo. Foi correspondente do Jornal do Brasil em Londres e repórter especial de O Globo, onde também foi diretor de redação da sucursal de Brasília. Foi comentarista politico na TV Globo, na Globonews e nas rádios CBN e Bandeirantes. Foi ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom/PR) entre 2007 e 2010, onde desenvolveu uma agenda a respeito de experiências globais de regulação da mídia como garantia de diversidade e pluralismo.

Martín Becerra: professor na Escola de Comunicação da Universidad Nacional de Quilmes e na Universidade de Buenos Aires. Membro do Conselho Nacional de National Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET) na Argentina. Autor de Sociedad de la Información: Proyecto, Convergencia, Divergencia; co-autor com Guillermo Mastrini de Periodistas y Magnates: Estructura y Concentración de las Industrias Culturales en América Latina e de Los Dueños de la Palabra: Acceso, Estructura y Concentración de los Medios en la América Latina del Siglo XXI.

Programação

14h:– Coletiva de Imprensa
Endereço: Auditório do Sindicato dos Engenheiros de São Paulo
Rua Genebra, 25 – Bela Vista

18h: Lançamento MOM: quem controla a mídia no Brasil?
Divulgação dos resultados da pesquisa pelos coordenadores da pesquisa no Brasil e representantes da RSF da Alemanha.

20h: Painel: “O que há de novo e de antigo na concentração da propriedade da mídia? Desafios para a pluralidade na América Latina”, com Cynthia Ottaviano, Franklin Martins e Martín Becerra.

Serviço

Data: 31/10/2017
Endereço: Auditório do Sindicato dos Engenheiros de São Paulo
Rua Genebra, 25 – Bela Vista

Para mais informações:

Iara Moura
Assessoria do Intervozes
Telefone: (21) 99668-1214
e-mail: comunicacao@intervozes.org.br

Patrícia Cornils
Coordenadora do MOM Brasil
Telefone: (11) 98372-7473
e-mail: pc@reporter-ohne-grenzen.de